8 de mai de 2009

Estiagem, enchente e surtos de doenças


Existe relação entre as notícias abaixo?

Jornal O Estado de São Paulo, 8 de maio de 2009:

"Seca coloca 298 cidades de RS e SC em emergência. Ao contrário das fortes chuvas que castigam as regiões Norte e Nordeste do País, municípios de Santa Catarina e Rio Grande do Sul sofrem com a estiagem".

Jornal O Globo, 7 de maio de 2009:

"Chuvas já provocaram 31 mortes em cinco estados brasileiros. Os danos causados pela chuva, ainda de acordo com o balanço da Sedec, atingiram 283 municípios localizados em dez estados: Ceará, Maranhão, Piauí, Paraíba, Rio Grande do Norte, Bahia, Alagoas, Amazonas, Pará e Santa Catarina".

Jornal Folha de São Paulo, 1º de maio de 2009:

"Surtos de febre amarela e dengue contaminam 200 mil e matam cem em 2009. Enquanto a gripe suína (rebatizada de "influenza A (H1N1)") coloca as autoridades de saúde em alerta no mundo todo, inclusive no Brasil, que já registrou quatro casos suspeitos além de outros 42 sendo monitorados, a febre amarela e a dengue, duas das principais doenças já conhecidas, contaminaram cerca de 200 mil pessoas e cerca de cem perderam suas vidas devido a surtos dessas doenças nos primeiros quatro meses de 2009".

Sim, existe. Elas refletem a forma como temos tratado nosso ambiente.

Os surtos febre amarela e dengue ocorrem porque existe uma superpopulação de insetos transmissores e estes encontram-se fora do seu ecossistema natural. Isso ocorre porque estamos destuindo os ecossistemas onde vivem os mosquitos. Em termos proporcionais nunca desmatamos tanto quanto temos desmatado atualmente.

Nas cidades. a vida da população mais frágil tem sido prejudicada pelas fortes chuvas que causam enchentes. No campo, nossa economia é enfraquecida pela estiagem que afeta a produção de alimentos. Esses dois fenômenos estão relacionados com a intensificação das mudanças climáticas e do aquecimento global. Suas consequências tem sido potencializadas pelos pequenos estragos do dia-a-dia, como o mau uso das enconstas dos rios, o aterro de banhados e a degradação dos sistemas naturais de drenagem.

Parece uma análise pessimista. Mas não é. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário